Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Páginas soltas...

Páginas soltas...

27
Nov17

Uma manta e tanto a dizer...

gaivotazul

Estás sentada no sofá. Sento-me no chão, de frente para ti, pernas cruzadas. Sei a tarefa que nos aguarda e interiormente sorrio. Há algo de prazeroso nesta tarefa repetitiva mas não monótona. Ergo os meus braços, palmas das mãos viradas uma para a outra, ligeiramente afastadas à largura dos ombros. Ao teu lado tens um pequeno cesto de verga onde dezenas de novelos de lã aguardam a sua vez. Ao lado destes outros tantos já devidamente organizados e enrolados em perfeitas bolas coloridas. Ao nosso ritmo começamos a desmanchar o novelo que se vai desenrolando das minhas para as tuas mãos. Primeiro devagar e depois num automatismo crescente. É quase uma dança de mãos sincronizada. A tarefa prolonga-se no tempo até que uma outra se imponha ou que as nossas mãos cansadas o impeçam. No pequeno cesto o resultado do nosso trabalho exposto como troféu. Desta nossa partilha nasceria mais tarde um dos melhores presentes que me poderias ter dado e que me recordam de ti Sempre. Ontem o frio apertou e a saudade fez-se sentir. No aconchego da tua manta colorida, de pequenos retalhos construída, onde cada pedacinho de lã conta uma história, encontrei o calor e diminuí a saudade. Na tua manta combati o cinzento do dia que em mim se instalava. Encontrei o conforto que procurava. Toco a tua manta numa lembrança de que nunca estaremos sós pois temos alguém que olha por nós. Somos o nosso presente e o nosso passado.

IMG_9615.JPG