Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Páginas soltas...

Páginas soltas...

15
Ago17

Serei a que se destaca ou sobressai?!!

gaivotazul

Serei a que se destaca ou a que sobressai?!? Num momento de pausa do trabalho, julguei ser a que se destacava no areal por estar de calças, completamente equipada para o trabalho... Enganei-me... Era a que sobressaía porque no meio de tanto espaço, com tantos alvos possíveis, foi justamente em mim que uma bola de raquetes veio aterrar numa trajetória perfeita e a toda a velocidade... Fiquei com uma bela marca de recordação Serei a que se destaca ou sobressai?!

IMG_6910.JPG

?

14
Ago17

(Ins)tabilidade...

gaivotazul

Tenho estado afastada da escrita nos ultimos dias.

Não que não sinta necessidade de o fazer. Sinto!

Mas escrever implica alguma disponibilidade emocional que me tem faltado.

Quando os sentimentos são contraditórios ou confusos, por vezes torna-se necessário dar algum tempo para que os mesmos se aclarem.

Além disso, apesar de eu escrever fundamentalmente por uma questão de necessidade pessoal, não posso "alhear-me" do facto de tudo o que eu possa escrever poder ter impacto na vida de outros. Positivo ou negativo... Isso acarreta alguma responsabilidade, a qual gostaria de não ter de assumir pelo menos momentaneamente.

Ontem senti-me um pouco mais focada... o excesso de trabalho tem ajudado pois não deixa muito tempo para pensar e por conseguinte para sentir.

Quando estou a trabalhar, pelo menos nas funções que me encontro a desempenhar por estes dias, o foco está totalmente centrado nos outros. O importante é atender às necessidades de quem nos procura e prestar o melhor serviço possivel. Trabalhando em equipa, não há lugar para o individualismo...cobrimos a retaguarda uns dos outros... è gratificante quando assim é de facto...

Hoje supostamente era o meu dia de folga...

Não tinha grandes planos... Não sabia bem o que queria fazer, mas sabia o que não queria fazer...

Os poucos planos que pudesse ter saíram furados aos primeiros instantes da manhã. A irritabilidade surgiu com toda a sua força... (continuo com muita dificuldade em gerir as minhas emoções)

A espaços senti que estava a recuperar o controlo, e alturas houve em que os planos inesperados resultaram melhor do que quaisquer outros que pudesse ter planeado...

Mas à minima coisa, o (des)controlo emocional voltou a manifestar-se...

Suponho que é o que acontece quando tentamos erguer uma torre de cartas assente numa base instável e em dias de ventania...

paginas-ao-vento.jpg

 

 

 

 

14
Ago17

À procura do foco...

gaivotazul

 

Ontem, enquanto tentava captar uma imagem com o carro em andamento, disseste que " tudo fica desfocado quando estamos a andar".

A forma como o disseste parecia encerrar uma verdade absoluta e detive-me por alguns instantes a reflectir sobre a mesma.

Existe uma certa magia numa imagem desfocada. A forma como as cores e as formas se misturam num todo difuso, a ilusão do movimento como se a câmara captasse a sequencia temporal em suspensão...

Difuso, ilusão, suspensão... serão estas as melhores palavras para descrever a forma como queremos ver e viver a nossa vida? Por muita magia que encerre...

De facto, às vezes é preciso parar para poder "ver" com clareza.

Acho que ultimamente tenho vivido a minha vida de um modo desfocado por não ter tempo de parar, ou por recear as implicações que poderão decorrer do simples acto de parar...

E se eu não gostar do foco?!? E se tudo o que eu julguei ser não for?!? Terei em mim a força necessária para enfrentar o desafio? Saberei gerir as emoções dele decorrentes?

Tenho de acreditar que sim... mas sinto-me tão...  

 

 

thLN3WT1LZ.jpg

 

 

 

 

13
Ago17

Parabéns Mark Knopfler

gaivotazul

12 Agosto de 1949
O Mundo ainda não o sabia mas nascia um ser com uma luz especial, destinado a tocar o coração de muitos e a iluminar o caminho de outros tantos - Mark Knopfler...

Se me perguntarem quando comecei a ouvir as suas musicas, não saberei dizer.
Diria que o ouvi tocar muito antes de eu nascer... diria que o ouvi tocar antes de eu nascer para esta vida e continuei a ouvi-lo após (re)nascer e não parei desde então...

Em casa os seus álbuns sempre se fizeram ouvir. Ás vezes alto e bom som com a luz do dia a entrar pela janela, outras baixinho no escuro, com as luzes da aparelhagem verdes e vermelhas que subiam e desciam ao ritmo dos graves como única luz de presença.

Diria que Mark tem uma mensagem para cada etapa ou acontecimento das nossas vidas. Pode-nos puxar para cima, pode acalmar as nossas inquietudes, pode... se o deixarmos, pode... se o escutarmos.

Agora mesmo, oiço "Going Home" enquanto escrevo estas linhas. Já algumas a antecederam e outras irão suceder-lhe.
Juro que tenho que fazer um esforço para continuar a escrever. Que a minha vontade é pousar a caneta para simplesmente escutar... e é isso que farei!
A escrita terá de ficar para depois, muito embora a tenha iniciado como forma de prestar um singelo tributo A Mark Knopfler no dia do seu aniversário.
Mas que melhor tributo poderia eu prestar que não o de simplesmente o escutar?
Boa noite...
(Sailing to Philadelphia a tocar)

10
Ago17

Um vislumbre do passado num sorriso

gaivotazul

E no final de um dia de trabalho, eis que no meio de muitos rostos desconhecidos surge um sorriso rasgado que não reconheces e te pergunta: - És a xxxx, não és? - Sou... - Eu sou o xxxx, um dos que ia no porta bagagens do carro quando fomos ao concerto dos Xutos há 18 anos atrás... O tempo recua, a conversa flui e o cansaço de uma noite desvanece-se... Pelo menos por alguns instantes voltas a sorrir...

04
Ago17

Sometimes we all need a guiding light...

gaivotazul

Quem me conhece sabe bem como a música sempre foi para mim um refúgio... Os que não me conhecem, rapidamente descobrem esse meu lado... Neste final de dia, precisei (e ainda preciso) de uma luz que me guiasse para que não me deixasse vencer pelo cansaço. Na voz de Mark Knopfler, na sua melodia e nas suas palavras encontro o meu refúgio temporário onde me reabasteço de energia para chegar onde preciso chegar. Porque todos nós somos uma embarcação que precisa de uma luz para não naufragar...

04
Ago17

Ás vezes não sei como chegar a Ti...

gaivotazul

fotorencruzilhada[1].jpg

 

És das pessoas mais meigas, doces e sensíveis que conheço. És também das mais teimosas e intempestivas.

Com queda para o teatro e para o drama às vezes torna-se difícil distinguir a realidade da farsa nos teus sentimentos. E então quando te sentes incompreendida...

No entanto, és dos seres mais tranquilos quando a tempestade exige calma e discernimento. Como o consegues fazer é ainda um mistério para mim. Sei que nesses momentos a minha admiração por ti cresce exponencialmente e fico abismada pela tua capacidade de fazer face às situações adversas...

É muito fácil deixar-me influenciar pelas tuas oscilações de humor e perder o controlo sobre as minhas próprias emoções. Quem me dera que assim não fosse..

Nesses momentos, gostava de poder pausar o tempo para poder descortinar o que te aflige e impede de sorrir. Para poder ver para lá das lágrimas e ouvir para lá dos gritos...

Se me deixasses, abraçar-te-ia em silêncio até que todas as palavras se esgotassem e nada mais houvesse a dizer...

É que às vezes, não sei mesmo como chegar a Ti.

 

 

02
Ago17

Noites de "Casa Cheia"...

gaivotazul

Afinal as coisas não mudaram assim tanto...

Recordo quando nos serões de sábado à noite nos sentávamos de revista na mão para assistir ao programa "Casa Cheia". Em família, aninhados no sofá, iamos testando os nossos conhecimentos e desafiando a sorte. No intervalo preenchiamos os passatempos da revista...

Mais de vinte anos passados, cá estamos nós. Uma outra geração, é certo, mas igualmente sentados no sofá, aninhados em família, a responder às questões de cultura geral que o programa de televisão nos coloca todas as noites.

Na vossa imaturidade e na nossa ignorância, podemos desconhecer a maior parte dos conteúdos, mas vibramos com alegria sempre que acertamos na opção escolhida.

É bom constatar que há coisas que não mudam, sendo o prazer de aprender em família e a partilha uma delas.

É bom sentir que todas as noites podem ser noites de "casa cheia"... 

02
Ago17

Humores...

gaivotazul

Estou irritada e não quero estar...

Estar irritada é perda de tempo. Rouba tempo de brincadeira, de partilha, de sorrisos.

Se ao menos este estado de irritação servisse um propósito maior ou tivesse uma razão válida de existir...

Mas não. Estou irritada simplesmente porque sim.

 

Não...não é verdade...

A minha irritação tem uma razão de ser e tomo consciência da mesma à medida que escrevo estas linhas.

Esta é uma das razões pelas quais escrever se torna cada vez mais essencial para mim. É catártico fazê-lo.

Ajuda-me a identificar melhor os meus sentimentos para poder lidar com eles.

 

Estou irritada porque o dia não me correu como gostaria. Não correu mal mas sinto que estive muito "presa" e não fiz nada de produtivo...

Isto também não é bem verdade. Fiz todas as coisas a que me propus mas parecem insuficientes para dar sentido ao meu dia.

 

Lentamente a irritação dará lugar a um cansaço latente desde esta manhã. Foi uma noite mal dormida...

Sei que esse cansaço trará também alguma tristeza à qual não posso ceder.

Haverá pessoas com razões para se sentirem tristes. Eu não sou uma delas...

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D