Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Páginas soltas...

Páginas soltas...

11
Set17

Porque iliteracia, não é igual a ignorância

gaivotazul

Criança sem mãe, filha de pai feirante. Escolas e escolhas errantes, foi deixada para trás. Não aprendeu a ler ou a escrever...

Cresceu solta no mundo. Observando e apreendendo o que a rodeava.

O que a literacia não lhe trouxe, o coração proporcionou-lhe.

 

Aprender a ler, é hoje uma ferramenta acessível à maioria. Saber fazer bom uso dessa capacidade é mais relativo...

No meu caso, essa competência, hoje, possibilitou-me ver um filme, ler as suas legendas e entender a mensagem sublimada nas entrelinhas. Falo de "Stanley & Iris", ou se preferirem, de "Por amor a Iris". Um filme de 1990 que conta com Jane Fonda e Robert de Niro como protagonistas.

A história de um homem simples que por circunstancias da vida chegou à idade adulta sem saber ler ou escrever...

Ficção?!? Talvez seja ficção para uns. Para outros... uma dura realidade.

 

A história de um Homem que por vezes pensou desistir. Demasiado cansado para lutar, sentiu-se tentado a baixar os braços e parar. 

A história de um Homem que na sua prisão - na prisão do seu silêncio, no seu sofrimento pessoal carregado de medo e vergonha por não saber ler, na culpa que suportava mas que não lhe pertencia - revelou toda a sua mestria. 

A história de um Homem que nada devia à sua inteligência e capacidade intuitiva e que ao encontrar quem nele acreditasse desabrochou e tudo conquistou.

 

Esta é também a história de uma Mulher. De uma Mulher com M maiúsculo.

A história de uma mulher que colocou sempre o bem estar dos outros à sua frente, pois deles dependia o seu próprio bem estar. 

A história de uma mulher que aparentemente se resignou a trabalhos menores pela estabilidade da sua família, mas que se revelou incansável mesmo quando se sentia derrotada pela Vida.

Momentos havia, por mais pequenos que fossem, em que olhava à sua volta e sentia felicidade. Sabia então que valia a pena continuar...

A história de uma Mulher calma, paciente, perseverante, meiga, firme... que fez toda a diferença na vida de um Homem.

 

A história de duas pessoas distintas mas que juntas, venceram o medo, a vergonha e se superaram a si mesmas. 

É que, tal como na vida real... por vezes nós somos os nossos maiores entraves. 

 

O que retirei do filme?

Que em qualquer idade podemos e devemos fazer a diferença na nossa vida e na vida dos que nos rodeiam.

Que a Vida e os projetos que para ela traçamos não devem depender da idade constante num pedaço de papel ou documento.

Que a idade da alma é bem maior e mais ávida de crescer e ser alimentada.

Que é grande o que sabe pedir ajuda e aceitá-la.

Que para seguir em frente, por vezes é preciso largar o passado.

Que existem finais felizes, pelo menos para alguns...

 

Nas palavras de Stanley (a personagem),

"Iris, tudo é possível!..."

 

 

IMG_7719.JPG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D